RSS

COMPLEXO DA MARÉ RJ – ESTADO MÍNIMO, INTERVENÇÃO MILITAR, VIOLAÇÕES CONSTITUCIONAIS E NENHUM DIREITO HUMANO

24 fev

Fotos da publicação de NINJA

Fotos da publicação de NINJA

No Brasil, para garantir a exploração e opressão pelo capital, o estado de exceção virou uma regra. Nunca neste país, nem na ditadura militar, tivemos tantos assassinatos e desaparecidos, em plena democracia temos presos políticos e torturas, isto comandado e acobertado pelos que juraram jamais deixar voltar a acontecer. Nossos nativos, nossos jovens de periferia, trabalhadores ruais, sem terra e sem teto estão sendo massacrados, com consentimento dos Governos e sob o silêncio estratégico da mídia. Quando pequeno, assistia filmes que mostravam a corrupção e os ladrões internacionais em Marrocos, a pobreza de Calcutá, a exploração quase escrava dos trabalhadores em países da África, a violência no Vietnã, o acúmulo de riquezas na Inglaterra e outros reinos, ficava horrorizado, hoje vejo tudo isso em meu cotidiano, querendo acordar a cada manhã e descobrir que foi um sonho ruim, mas não é. Estamos nas mãos de uma quadrilha de fascistas que saqueiam a nação e menosprezam o povo. Isso tudo me enoja, como me enoja saber que soldados mal pagos, certamente oriundos de comunidades como a Maré, se sujeitam a massacrar seus irmãos, a serviço dos porcos, por migalhas. São uma sub espécie de uma sub raça, são a escória da sociedade.

OS TEXTOS QUE SEGUEM ABAIXO NÃO SÃO DE MINHA AUTORIA, MAS CONCORDO COM ELES EM TUDO QUE FOI DITO, FORAM RETIRADOS DE REDES SOCIAIS.

NÃO DÁ MAIS PRA SEGURAR… EXPLODE CORAÇÃO!

Segue o relato do cotidiano do nosso povo:

No dia 12/02 cinco amigos tiveram o carro fuzilado pelos militares no Salsa e Merengue quando voltavam de uma festa. Um dos ocupantes do veículo teve a perna amputada e continua internado em estado grave.

Sexta-feira, dia 20/02 um pedreiro foi assassinado enquanto fazia o seu trabalho na Vila do João. A justificativa da execução foi o trabalhor ser confundido com um traficante.

Ontem, dia 21/02, uma Kombi que fazia lotada Maré x Bonsucesso, na Vila do Pinheiro, foi metralhada deixando pelo menos cinco pessoas feridas.
Antes disso, fotógrafos e comunicadores comunitários já sofreram com abuso e violência dos militares e foram impedidos de registrar as violações cometidas pelo exército.

Em julho, quando completava um pouco mais de um ano da chacina que matou 10 moradores, a Maré sofreu um ataque violento da pareceria governo federal e governo do Rio, quando cerca de quarenta famílias da favela salsa e Merengue tiveram suas casas destruídas sem qualquer aviso prévio ou plano de reassentamento. O local foi cercado por tanques de guerra para impedir resistência da população.

O Bloco “Se Benze que dá” completou 10 anos esse ano e continua gritando pelo direito de ir e vir dentro das favelas dominadas agora não só pelo tráfico, mas pela força de pacificação. hoje as fronteiras são em maior quantidade!

Fotos da publicação de NINJA

Fotos da publicação de NINJA

Durante a caminhada, quando o bloco iria passar pela divisa do Pinheiro (onde a kombi foi alvejada), um tanque atravessou a rua se posicionando em frente ao bloco impedindo a passagem. Os participantes fizeram uma grande vaia. Outros dois tanques nos cercaram, uma sirene soava alto com uma luz vermelha piscando e muitos homens fortemente armados apontavam para nós. Foi um momento de muito medo, após os últimos acontecimentos violentos na Maré, nesse momento tiramos uma força que não se tem sozinho, só mesmo um coletivo é capaz de fazer esse enfrentamento. Continuamos andando em frente na direção dos tanques, gritamos mais alto e mais bravos. até eles recuarem. Ainda não tinha acabado. Havia uma barricada embaixo do viaduto com homens apontando metralhadoras. Resistimos e enfrentamos sem recuar, mostrando que apesar de toda a repressão não perdemos a capacidade de nos indignar e não aceitamos a permanência do Exército na Maré promovendo todo tipo de barbárie contra a população.

 

MARÉ REVOLTA

Centenas pessoas saíram da Vila do João no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, em protesto ao assassinato de moradores do bairro promovido pelos disparos do exercito contra uma van nos últimos dias.

As pessoas marcharam até a linha vermelha onde nesse momento sofrem forte repressão da Polícia Militar e do Exército Nacional. As ruas estão tomadas por tanques de guerra e barricadas que abrigam soldados armados com rifles letais.

Fotos da publicação de NINJA

Fotos da publicação de NINJA

15887_452387851586032_2325015634542419725_n

 

 

 

 

 

 

 

 

ACREDITEM, NÃO É ZONA DE GUERRA NO ORIENTE MÉDIO, FOI NA FAVELA DA MARÉ NO RIO DE JANEIRO, HOJE! QUER ESTADO MÍNIMO E INTERVENÇÃO MILITAR? MUDE PARA A MARÉ, LÁ HA INTERVENÇÃO 24 HORAS E NENHUMA ATUAÇÃO DO ESTADO. AH! DIREITOS HUMANOS TAMBÉM NÃO EXISTE LÁ.

11015805_10202821858262267_7018240406726920044_nA Policia Militar e o Exercito estão no momento atirando com armas letais na manifestação na maré.
Essas são as corporações que derramam sangue negro nas favelas diariamente.

LUGAR DE JOVEM NEGRO É VIVO E NA LUTA!!!
A RESISTENCIA CONTINUA!!!

 

 

 

Rede de Informações Anarquistas  Ato pela vida no Complexo da Maré, zona norte do Rio. 23/02/15 – 20h

O ato foi dispersado pela presença da Polícia Militar que fechou a via da Linha Amarela na altura da entrada da Ilha do Governador. Os becos as adjacências estão a maioria sem luz e a presença da PM e dos Militares é muito grande.

Presenciamos vários disparos de arma letal traçantes pelo céu o clima no local continua muito tenso.

Moradores e ativistas de diversos movimentos sociais se mobilizam nessa noite de segunda-feira, 23/02, na entrada da Vila São João, uma das comunidades que formam o complexo da Maré, na altura da passarela 6 na Avenida Brasil.
A manifestação é contra a intensa criminalização da pobreza e militarização da favela, que somente na última semana deixou mais de 3 vítimas fatais, entre elas dois pedreiros que foram confundidos com traficantes por soldados do exército.
Há relatos diários de tiroterios, agressões por parte dos soldados e suspensão de direitos básicos dentro da favela, uma verdadeira ditadura acontecendo com aval dos governos muncipal, estadual e federal, além de amplo apoio da imprensa e de alguns setores da sociedade, como empresários preocupados com o “turismo” na cidade.
Enquanto se vende para o mundo inteiro um Rio de Janeiro pacificado, só quem é da favela e de seus arredores sabe a dor e o sofrimento que é viver no julgo de fuzis 24h por dia.

11001804_730964870345946_7424756089983434835_n

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de fevereiro de 2015 em DIREITO&SOCIEDADE

 

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: