RSS

O RECADO DO POVO

02 jul

O recado do povo foi dado, e com toda certeza bem entendido, a hora e de reflexão, se queremos ou não o plebiscito ou referendo para a necessária e urgente reforma política, e o que esperamos desta reforma. Devemos lembrar que a reforma política pode mudar os rumos da história, mas a médio e longo prazo. Não podemos esquecer que temos problemas urgentes para os quais o Governo sequer acenou algum interesse de resolver. Os três mais graves são a saúde, educação e segurança, e isso, como fica? Deram o “calaboca”, rejeitaram a PEC e votaram meia dúzia de Projetos de Lei que estavam juntando ácaros e bolor.

Corrupção crime hediondo? Desconheço país no mundo que Lei impediu o crime, o que impede o crime é acabar com a certeza da impunidade e colocar criminosos, efetivamente, isolados da sociedade. O governo começa, junto com uma imprensa de direcionamento e comprometimento duvidoso, a criar os “líderes”, os futuros Deputados e Senadores que hoje servirão de justificativas para as decisões do Governo que alegará as ter tomado com a concordância das lideranças populares e as prioridades apresentadas.

A reforma política não pode ser feita de uma noite para um dia sem a ampla participação da sociedade, não por plebiscito, mas por audiências públicas, debates, representações de categorias profissionais e estudantis eleitas para tais discussões, ou seja, todos os segmentos representados, para aí sim ser feita a reforma e levada a refendo popular. Aliás, alguém viu o povo nas ruas reivindicando um plebiscito?

Mas e o urgente? Quantos mais vão morrer sem exames, UTI, remédios e equipamentos? Quantos vão ser vítimas de violência por falta de efetivo e aparelhamento policial, carcerário e morosidade judicial? Quantas crianças serão vítimas de escolas em condições precárias e sem recursos para professores e alunos?

O Brasil mostrou que pode, que tem recursos financeiros, humanos, de equipamentos e tecnologia para resolver tais problemas, com a construção de estádios caríssimos e modernos, com um aparato policial que fez inveja a qualquer nação militarizada. Temos que voltar ao foco inicial, “não é por R$ 0,20, é por saúde, educação, segurança e o fim da corrupção.”

Não queremos isso tudo no padrão FIFA, que é frio e desumano, queremos no padrão Brasil, com a qualidade feita para a FIFA.

Não adormeçamos novamente e não permitiremos que nos calem com migalhas, digamos não a este plebiscito, que se abra a discussão, e que voltemos ao foco da urgência, ou seremos rotulados pelo mundo que nos vendemos muito barato, que custamos R$ 0,20 e meia dúzia de Leis emboloradas.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 2 de julho de 2013 em Notícias e política, POLÍTICA

 

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: